quarta-feira, 7 de maio de 2008

Letting go ou a arte do desamparo

Sabe quando, de repente, vc sente que uma coisa despluga, desconecta, não passa mais corrente, modelo zero de energia, mas não é um aparelho...é você?

Sabe quando mil historinhas te trazem coisas lindas e o slideshow mental revela cenas sublimes e no rewind mode surgem diálogos absolutamente necessários e não, não é um filme enevoado em flashback?

Sabe quando você olha pra ele e custa a creditar que seja mesmo ele, quando não encontra mais aquilo de antes, de sempre, dos últimos (quase 20) anos?

Sabe quando, depois de muita discussão, muito desentendimento, muito esforço dos dois lados, nada parece ter jeito - e some-se a isso um huge desgaste mega blaster?

...Ai, quando a pessoa desponta, láááá no fim do quarteirão, parece que dá pane geral e a única coisa que te vem é uma vontade louca de de-as-pa-re-cer, sair correndo na direção contrária, sem direito a uma olhadela ou um adeuzinho? E assim, de num querer sa-ber de notícia, digamos, nos próximos 20 anos?

Pois é... acho que perdi um velho amigo.

E essa é das constatações mais tristes de dupla-incompetência que eu já tive.

5 comentários:

Menina Eva disse...

Ai, amôlei. Eu sei como é. Não sei o porquê.

mani disse...

Querida, tô passando por algo assim...Os extertores de uma amizade que poderia ter sido mais bonita...

Ana disse...

Ai bonita, q triste...
:P
Mas eu tb sei como é.
Bjos
Ana
www.mineirasuai.blogspot.com

alan disse...

bagunçou geral em fia...
mas é a vida ...
beijos
alan

Ana Paula disse...

Dói, né?
E letting go é difícil...