sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Sem desculpa, só explicação.


Quando se tem um monte de gente que se importa com você, você não explica as coisas que anda pensando, fazendo e querendo?
Não tenta mostrar, do melhor jeito, que não ta fazendo bobagem?
Então.
Vou me explicar.

Eu criei esse espaço, que recebe um dos meus apelidos caseiros, por pura necessidade. Quando criei o Bela Caleidoscópica ainda havia em mim um tico de esperança na mudança das coisas, no comprometimento de algumas figuras com uma maioria condenada, que operasse para a melhoria disso e tals. E eu era mais besta, sim. Eu ainda acreditava que tudo que vc faz volta pra vc, eu acreditava que duas pessoas feitas uma pra outra não se perdessem nunca.
Eu acreditava em tanta coisa!

Ai, um dia eu acordei e achei que não...não...não tinha ninguém fazendo isso. Não lá, com nome e sobrenome, cpf e cargo público. Não tinha.
Ai, minha amada Fal passou o que passou...e eu fui junto no luto indignado!
Ai, eu deixei uma coisa muito muito boa passar por mim e ir.
Ai, eu comecei a me cansar do que me era muito familiar.

Que desespero, viu?
Eu fiquei num desespero esquisito...sem ação...só choque e medo.

Depois, eu vi que andava me fechando em círculos: de amigos, de poetas, de filmes, de música, de política, de família. Não tava aberta a nada novo. E tava, sim, cada vez mais cricri.

Além disso, eu comecei a perceber que eu criava um Universo Paralelo, que eu vivia em torno de coisas e pessoas que me dessem uma sensação de segurança. Por carinho, por amor, por apoio, por compromisso, por responsabilidade ( isso é das coisas que eu acho mais lindas no mundo. Alguém que se SENTE responsável por outro alguém!Mas esse não é o meu assunto aqui.) ...Sabe aquela coisa de procurar não sair da sua zona de conforto?

De repente, eu olhei pra isso e achei tudo uma grande porcaria.
Achei EU ruim.
Achei o blogue ruim.
Achei um bando de coisa bem bem ruim (o resto eu conto com o tempo).
Ai, saí. Cortei o cabelo, pintei as unhas de uma cor nova, matei o blogue velho, fiz o novo (tá, confesso, passei uns dez dias pra conseguir me desfazer dele.), comprei um livro que eu jamais escolheria, ouvi uma música assim...estranha, à primeira audição, dei papo pro jornalista que eu sempre achei politicamente equivocado e metido (e me diverti!), fiz uma comida toda diferente. Topei um projeto de arte e tecnologia! Entrei prum grupo de poetas. E eu vi que era isso mesmo. Tava mudado o rumo.

E depois que eu mudei os móveis da sala e troquei o escritório por um quarto de hóspedes, meu bem, ai, eu tive cer-te-za...Tá na hora de mudar logo um bando de coisa de uma vez.

Só não largo minha mão da sua. Troco da esquerda pra direita...e rumbora!

Na verdade, o que eu quero é só ser cada vez mais boba.

8 comentários:

Alline disse...

OBAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA. Adoro mudanças (cê sabe, né...de cidade, de Estado, de país, de lingua, de cultura, de namorado, de emprego, enfim...).
Então, amiga-irmã-caminhoneira, eu AMANDO esta sua fase de mudar tudo-ao-mesmo-tempo-agora.
Rumbora, nêga, rumbora.
Te amo. Mas assim, bem muito. Vontade de dar um abraço tão apertado de te deixar sem ar.
Mandei sms, recebeu...ou agora tu só atende Paula Clarice...
Beijos

Inagaki disse...

Bela, compartilho contigo o desejo de dar uma sacudida em minha vida e mudar certas coisas. Ah, e de ser mais bobo também, porque "a vida é bela, nóis que fode ela". ;) A propósito, citei a senhorita no blog dos Virunduns. De quebra, sobrou para a sua amiga Alline (sorry!)... :P Um beijabraço!

Maria Muadié disse...

vumbora !

Ana Paula disse...

Nossa, Bela, eu tenho profunda admiração pela tua coragem, pela tua autenticidade. Amei a mudança. E vumbora que eu tou embarcando contigo!

Rcesar disse...

Momentos semelhantes. Eu passo por uma insatisfacao entre um eu-publico, e o eu-privado e expresso. Ateh falar palavrao (em qualquer lingua) tem me custado, me colocado insatisfeito comigo. Parece q eu estou querendo diminuir a distancia entre esses dois polos, muito embora nao saia de onde comecar. Mas pode creer que iniciativas narradas como a sua estimulam bem! Um beijo!

Mani disse...

Olha ainda dá tempo de trocar de marida!!! Larga a carioca e fica com a cearense da gema!!!Moi!!!!
Ah, eu e Fal fizemos planos pra voce, nos aguarde!!!

Lu disse...

te amo
saudade
muita

Cynthia disse...

Bem-vinda ao lado bobo da Força. Tô adorando este blog novo ainda mais que o velho.

:o*